Escrito por 09:00 Marketing Digital

Conheça o GA4: a próxima geração do Google Analytics

Já está sabendo da atualização para o GA4? Em 2020, o Google lançou o Google Analytics 4 com o intuito de substituir o Universal Analytics, aquele que nós já conhecemos. 

Apesar de ambas as plataformas estarem disponíveis, é preciso se adequar a nova versão. Isso porque em 2023 o Universal Analytics sairá do ar, possibilitando apenas o uso do GA4.

Mas afinal, qual a diferença? Por que a migração? Como me adequar? É isso que você descobre agora!

O que é GA4?

GA4 é a abreviação de Google Analytics 4, nova versão do Universal Analytics, a ferramenta do Google que permite a análise de dados de sites. 

Empresas e agências ao redor do mundo usam o Analytics do Google para acompanhar dados dos seus sites, como: quantidade de acessos, origem do tráfego, páginas visitadas e conversões e entendimento de relatórios

O objetivo da ferramenta sempre foi ser um recurso de mensuração online e há anos não registrava uma atualização como essa.

Mas nos últimos tempos, a empresa divulgou não só uma atualização, como uma nova versão, o GA4. Nessa nova versão, o Analytics (GA4) investe mais em tecnologia, projeções de futuro e, principalmente, experiência. Entenda melhor as principais diferenças entre as versões.

Qual a diferença entre UA e GA4?

O Universal Analytics é aquele dashboard ao qual já estamos acostumados: visão rápida, métricas definidas, mensuração em tempo real e centrado no modelo de dados baseado em sessões. 

Através dele, é possível rastrear o comportamento dos usuários de fontes internas e externas, criar métricas personalizadas, além de fornecer um ID exclusivo para cada usuário e fornecer códigos de rastreamento. 

Já no GA4, os dados são baseados em eventos e diferenciais por parâmetros, o que ajuda no mapeamento de cada um e na extração de insights. A nova versão também traz outras novidades importantes, como: 

  • criação de relatórios entre dispositivos, melhorando a integração entre os canais;
  • público-alvo e métricas preditivas;
  • integrações com plataformas de mídia;
  • controles de privacidade: medição sem cookies, modelagem comportamental e até estimativas de conversão.

Basicamente, o GA4 e o Universal Analytics têm diferentes modelos arquitetônicos, cada um com seu valor – apesar de o recomendado ser se adaptar ao GA4, o quanto antes.

O GA4 trará mudanças significativas na visão de nossos dados pelo Analytics

Por que migrar para o GA4?

Como dissemos, é preciso se adaptar à nova versão o quanto antes, isso porque a partir de 1º de julho de 2023 os acessos ao UA serão retirados. Os usuários do Google Analytics 360 (versão paga) também precisarão mudar, mas terão o prazo estendido: 1º de outubro de 2023.

Mas para além da obrigatoriedade, o GA4 também traz diferenciais e características exclusivas que prometem ser muito vantajosas para os profissionais, confira as principais:

Privacidade de dados

Claro que o UA já oferece privacidade de dados, mas a nova versão investe ainda mais na segurança com controles de privacidade

Os usuários estão cada vez mais conscientes sobre o uso de seus dados, então o GA4 precisou se adaptar para continuar fornecendo insights de maneira segura e transparente.

A nova versão utiliza a modelagem de dados por meio de aprendizado de máquina, ou seja, não precisa coletar cookies para obter os dados e não armazena endereços de IP.

A ferramenta também oferece recursos para ajudar as empresas no cumprimento da LGPD.

Foco no usuário

O grande tema dos últimos anos para as estratégias de marketing é o foco no usuário e, claro que o GA4 também pensou nisso. 

A nova versão integra dados de sites e aplicativos, o que permite uma visão mais ampla e completa da jornada do usuário, independente do canal. 

O Google Analytics 4 é tido como uma ferramenta multiplataforma, o que está completamente alinhado às principais tendências de marketing e promete contribuir (e muito) com as análises de comportamento do consumidor.

Ilustração de uma pessoa analisando em seu notebook dados de usuários do seu site

O foco no usuário se torna cada vez mais essencial para as estratégias de marketing

Métricas exclusivas

A gente avisou que o GA4 tinha diferenciais, né? Pois é, a nova versão conta com métricas exclusivas, dá uma olhada o que muda!

  • Sessões engajadas: agora, uma sessão engajada será definida quando os usuários estiverem com a página aberta e utilizando por, pelo menos, 10 segundos. Ou seja, se a aba estiver aberta, mas o usuário não estiver ativo nela, navegando, ela não será contabilizada como uma sessão engajada.
  • Sessão engajada por usuário: essa métrica representa uma média de sessões que cada usuário engaja. Logo, se um mesmo ID retornar várias vezes, é possível calcular uma média de quantos usuários recorrentes ou novos acessaram o conteúdo.
  • Tempo médio de engajamento: mais uma evolução do Universal Analytics, o tempo médio é considerado como o tempo que a página ficou aberta em primeiro plano, seja no desktop ou no mobile.
  • Taxa de engajamento: Lembra das sessões de 10 segundos? Essa métrica é novamente utilizada aqui para definir a taxa de engajamento, dividindo-a pelas interações nas sessões.

E aí, animado (a) com as atualizações? O que você achou das métricas exclusivas?

Como fazer a migração

Como dissemos, a mudança vai ser obrigatória em 2023, mas você já pode fazer a migração para começar a se adaptar à nova versão. O pulo do gato aqui é manter as duas versões para entender o funcionamento de cada uma e ir se adaptando gradualmente.

Para fazer a migração, siga os passos a seguir.

1 – Faça login na sua conta do Google Analytics, vá até o menu e clique em “administrador” para acessar a seção “propriedade”;

2 – Para garantir que o UA continue coletando seus dados até ser descontinuado e seja associado ao GA4, clique em “assistente de configuração do GA4” e “criar uma nova propriedade do Google Analytics 4”;

3 – Feito isso, vá até suas propriedades do GA4 e siga as recomendações, como: instalar tag, vincular propriedade ao Google Ads, definir públicos-alvo, etc.

Você também pode acompanhar o passo a passo do próprio Google para entender melhor cada fase tanto para o público, quanto para anunciantes.

PS 1: Ah, importante: como as ferramentas trabalham com modelos diferentes, não é possível migrar os dados do UA para o GA4, por isso, o ideal é exportar suas informações. Para isso:

  • Abra o relatório que você deseja baixar, escolha os filtros necessários para aplicação e clique em “exportar” no ícone que estará localizado no canto superior direito.

Você pode fazer essa exportação em até 6 meses, a partir de 1 de julho de 2023.

PS 2: ao realizar a migração, as integrações feitas pelo UA serão perdidas. Então, ao configurar seu GA4, já conecte Data Studio, Google Ads e outras ferramentas para garantir que suas informações não se percam.

Depois dessa avalanche de informações, nossa recomendação é investir em treinamentos e capacitação da sua equipe para explorar todo o potencial do GA4 e garantir que nenhum dado se perca ou deixe de ser coletado nessa transição.

Ilustração de duas pessoas analisando gráficos e dados em uma dashboard referenciando o GA4

O GA4 trará diversos novos insights. Você está preparado?

Continue informado!

E aí, o que você achou da atualização? Preparado (a) para testar o GA4? Comece a sua migração e compartilhe com a gente suas percepções.

E, para continuar por dentro de tudo que acontece no mundo digital, você já sabe: é só ficar de olho em nosso blog

Novidades, tendências, estratégias, dicas e muito mais você encontra por lá. Até a próxima!

Clique e descubra mais sobre como recuperar clientes inativos através de uma nova estratégia.

(Visited 276 times, 1 visits today)

Sharing is caring!

Última modificação: 12 de dezembro de 2022
Fechar