Escrito por 09:00 Entregabilidade

Core Web Vitals: entenda o que são e como impactam seu site

Não é de hoje que o Google é considerado um dos campeões quando falamos de inovação, experiência do usuário e tecnologia, né? Surgidas em 2020, as métricas Core Web Vitals são mais uma comprovação disso. 

O Google possui diversas formas de avaliar a qualidade dos resultados de pesquisa e as Web Vitals são umas delas, vamos entender melhor sobre o tema? Vem com a gente.

O que são Core Web Vitals?

Core Web Vitals pode ser interpretado como um “conjunto de sinais” que o Google utiliza em seu algoritmo para avaliar a usabilidade de uma página. 

As “principais métricas da web” como também podem ser chamadas foram anunciadas em 2020 como uma forma de mensurar a experiência do usuário, a partir de interatividade, estabilidade visual e velocidade de uma página.

Ou seja, nesse cenário, as “Web Vitals” se tornaram “Core Web Vitals” que se aplicam às páginas da web e ajudam os proprietários de sites a acompanharem as métricas que realmente importam para o desempenho de suas páginas.

Mas não parou por aí, no mesmo 2020, o Google também anunciou que a partir do próximo ano as Core Web Vitals seriam combinadas e integradas aos outros algoritmos do mecanismo, criando o “The Page Experience Ranking Factor“.

Quais são as principais métricas Core Web Vitals?

Antes de entrarmos nas principais métricas do Core Web Vitals, é importante conhecermos os outros fatores que o Google já avaliava e foram integrados à novidade: mobile friendly, navegação segura, https e intersticiais não intrusivos (pop-ups).

Dito isso, vamos compreender as principais métricas da web e como elas funcionam.

LCP

LCP ou Largest Contentful Paint é a métrica responsável por medir a velocidade de carregamento do site. Ou seja, o tempo que a página demora para carregar o conteúdo completo para o usuário.

O LCP vem para substituir outras métricas utilizadas, como FCP que media apenas o carregamento do primeiro elemento da página e o FMP que focava no principal elemento da página, que não necessariamente era o primeiro.

Nessa nova mensuração, a velocidade do carregamento é medida pelo tempo de renderização e pode ser influenciada por outros fatores, como o tempo do servidor, por exemplo.

Segundo o próprio Google, o ideal é que o LCP esteja abaixo de 2,5 segundos para garantir uma experiência otimizada para o usuário.

Outros resultados, como LCP entre 2,5 e 4 segundos mostram que o site precisa de ajustes e acima de 4 segundos indica a perda de usuários pela demora no carregamento da página.

FID

O First Input Delay mede quanto tempo demora para o usuário poder interagir com a página. O FID avalia o tempo que o usuário leva para alguma ação, como um clique, por exemplo; e daí, quanto tempo o site demora para processar uma resposta para essa ação.

Ou seja, o tempo é medido ação x retorno, por isso, é fundamental aliar o FID ao LCP.

Considerando isso, o ideal é que esse tempo não seja maior que 100 milissegundos para que o usuário tenha a pronta resposta e não abandone a navegação.

Se a resposta foi entre 100 e 300 ms, significa que o site precisa de ajustes e, acima disso, a experiência é considerada ruim.

Ilustração de uma moça sentada comprando sem seu celular

A velocidade de carregamento do site e de resposta às ações do usuário são fatores essenciais para uma boa experiência do usuário.

CLS

CLS (Cumulative Layout Shift) é a métrica que avalia a estabilidade do conteúdo da página, ou seja, mudanças inesperadas no layout pesam nessa avaliação.

Por exemplo, quando o usuário está navegando em determinado site e um botão que não tinha sido completamente carregado muda de lugar durante a interação, fazendo com que o clique não seja no lugar desejado. 

Percebe a importância de trabalhar as Core Web Vitals integradas? Os elementos do site carregam de forma assíncrona, por isso, é fundamental seguir as recomendações do LCP para garantir boa experiência na página.

A “pontuação” dessa métrica considera fração de impacto, ou seja, como o elemento instável impacta na visualização x a fração de distância que avalia quanto o elemento se moveu.

A recomendação é que a pontuação do CLS fique abaixo de 0.1. Para investir em melhorias, a pontuação é de 0.1 a 0.25 e uma má experiência é tida a partir do 0.25.

A importância das Core Web Vitals para o seu negócio

As Core Web Vitals (CWV) atuam no principal foco das marcas: a experiência do usuário

Todas as métricas, modos de medição e resultados são avaliados para oferecer o melhor ao cliente, o que a gente já sabe, é mais do que uma tendência consolidada.

Outro ponto importante a se considerar é que elas associadas às demais Web Vitals, contribuem com a segurança da página, o que também é identificado pelos navegadores e ajudam a melhorar a credibilidade e reputação da marca.

Além disso, as CWV influenciam no ranqueamento de conteúdos nos resultados de pesquisa do Google, por isso, é importante ter uma boa pontuação para garantir que os conteúdos do site apareçam em boas posições e alcancem mais pessoas.

Como analisar e aprimorar as Core Web Vitals do seu site?

Como vimos nas explicações sobre as Core Web Vitals, a experiência do usuário pode ser classificada como “boa”, “precisa de melhorias” e “ruim”, de acordo com o resultado de cada métrica.

Mas além disso, é preciso ver o macro dos resultados, avaliando a performance das Web Vitals e entendendo como é a experiência dos usuários de forma geral; anota aí: para que uma página seja considerada aprovada, é necessário que 75% dos usuários tenham tido uma experiência boa.

Por isso, separamos algumas ferramentas que podem te ajudar a entender como está a qualidade de suas páginas.

Pessoas discutindo sobre métricas importantes para a experiência

As Core Web Vitals fornecem material para análises e discussões embasadas e frutíferas, possibilitando melhora na qualidade das suas páginas.

Experiência de usuário do Chrome

A ferramenta avalia métricas de diagnósticos das páginas e as Core Web Vitals para entender o desempenho da página. Os dados coletados anonimamente permitem que os sites tenham acesso a esse relatório e avaliem a necessidade de mudanças e/ou melhorias de forma automatizada

Google Search Console

O Google Search Console, ferramenta altamente conhecida pelos profissionais de SEO, também ajuda a entender sobre as Core Web Vitals. O site, que também usa dados reais, gera um relatório agrupado por categorias “bom”, “precisa de melhorias” e “ruim” para ajudar os proprietários a agirem rapidamente nas mudanças necessárias.

O grande diferencial do site é que ela gera dados históricos sobre o desempenho, o que não é, normalmente, encontrado nas demais ferramentas.

Pagespeed Insights

Uma das ferramentas mais tradicionais para medir a velocidade das páginas, o Pagespeed já é um “clássico” para quem quer compreender o desempenho dos sites.

Agora, além de medir a velocidade, ele também permite visualizar as métricas do Core Web Vitals e as sugestões de melhorias divididas entre desktop e mobile.

Disponível via web e como API, a ferramenta gera dados de laboratório, pontuação de velocidade e dados de campo da “Experiência de Usuário do Chrome”.

Mulher observando dados de Core Web Vitals em monitores

Utilizando as principais ferramentas necessárias para coleta e análise das Core Web Vitals, você terá uma gama extensa de informações para observar e obter insights.

Mantenha seu site otimizado!

Agora que você já entendeu as principais métricas da web, Core Web Vitals, como elas são medidas e o que fazer para oferecer a melhor experiência ao usuário das suas páginas, é hora de colocar as melhorias em prática e alavancar o tráfego do seu site. Vamos nessa?

Curtiu esse conteúdo? Você encontra mais sobre marketing digital, estratégias e soluções personalizadas em nosso blog. Esperamos por você!

Clique e descubra mais sobre como recuperar clientes inativos através de uma nova estratégia.

(Visited 120 times, 1 visits today)

Sharing is caring!

Última modificação: 24 de janeiro de 2023
Fechar